Alguns gestores, ao montar o cronograma de coletas de resíduos junto à transportadora, se surpreendem com a variedade de serviços de transporte oferecidos para cada tipo de resíduo. Diante disso, surgem as dúvidas comuns como: porque todo o lixo da minha empresa não pode ser coletado pelo mesmo veículo? O uso de mais de uma modalidade de coleta não irá encarecer o serviço da transportadora? Minha empresa é obrigada a fazer a segregação de resíduos?

Para esclarecer essas dúvidas, preparamos este texto com tudo o que os gestores precisam saber sobre os diferentes tipos de coleta. Ao longo da leitura, você irá perceber como a segregação e o uso de coletas de resíduos específicas, além de ser importante para o meio ambiente, pode contribuir para a eficiência dos resultados da empresa. Boa leitura!

A importância dos diferentes tipos de coleta

Um dos objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, instituída pela Lei 12.305/2010 – é aprimorar a gestão de resíduos, garantindo com que o seu potencial econômico e energético possa ser aproveitado de forma sustentável por meio da reciclagem.

De acordo com a PNRS, cerca de 30% de todo o lixo gerado no país, são formados por materiais que poderiam ser reciclados. Entretanto, para que esse material possa ser reinserido no processo produtivo, é necessário um esforço da sociedade que se inicia no momento da geração do resíduo.

O passo mais importante é a segregação do lixo. Quando a segregação não é feita na fonte geradora, ela precisa ser realizada durante um processo de triagem realizado nas usinas de reciclagem. Essa triagem, porém, representa um custo extra que, muitas vezes, torna a reciclagem economicamente inviável para a indústria. Além disso, muitas vezes a triagem torna-se impossível, como no caso de plásticos muito pequenos.

Para garantir as condições mínimas para a recuperação dos materiais recicláveis, a PNRS determina que os serviços de coleta permitam a segregação em, pelo menos, duas categorias: recicláveis secos e rejeitos. Trata-se da forma mais simples de segregação de resíduos e permite que, pelo menos, os recicláveis secos não sejam contaminados com restos de alimentos, gorduras e óleos, viabilizando a triagem nas usinas de reciclagem.

O código de cores do CONAMA e a segregação de resíduos

Apesar da lei obrigar a segregação em, no mínimo duas categorias, quanto mais criteriosa for a segregação, maiores são os benefícios para o meio ambiente e as possibilidades de reciclagem do material.

Para padronizar a segregação e, assim, facilitar a identificação de resíduos durante o transporte e o manuseio desse material, o Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) criou um código de cores. Esse código de cores pode ser utilizado em empresas geradoras para orientar a segregação e ajudar na organização dos serviços de coletas de resíduos.

As cores sugeridas pelo CONAMA para cada tipo de resíduo são:

  • Azul: papel e papelão;

  • Vermelho: plásticos;

  • Verde: vidros;

  • Amarelo: metais;

  • Preto: madeira;

  • Laranja: resíduos perigosos;

  • Branco: resíduos ambulatoriais e de serviços de saúde;

  • Roxo: resíduos radioativos;

  • Marrom: resíduos orgânicos;

  • Cinza: resíduos não recicláveis, contaminados ou não passíveis de separação.

As diferenças entre as coletas de resíduos

Cada tipo de resíduo requer uma infraestrutura específica para que a sua coleta seja realizada de forma adequada. É por isso que existem diferentes tipos de coletas de resíduos: para garantir o transporte seguro dos mais variados materiais.

Por exemplo, resíduos orgânicos, como restos de comida, resíduo de varrição de ruas, etc. são melhor transportados em caminhões equipados com compactadores. O compactador permite que um único caminhão colete um grande volume de resíduos, reduzindo os custos da coleta para os clientes da empresa transportadora, bem como o consumo de energia com transporte.

Por sua vez, resíduos hospitalares, que são classificados como perigosos, devem ser transportados em veículos com carroceria fechada e impermeável, para evitar qualquer risco de contaminação biológica causada pela perda do material.

As vantagens da segregação de resíduos para as empresas

Como podemos ver, a segregação e o uso de diferentes tipos de coletas de resíduos são inúmeras para o meio ambiente. Mas, e para as empresas? Qual seria o benefício direto?

O uso de coletas específicas para cada tipo de resíduo ajuda a reduzir os custos operacionais, uma vez que utiliza a infraestrutura adequada para o transporte de diferentes tipos de materiais. Além disso, com uma boa infraestrutura de coletas de resíduos, é possível otimizar a venda de recicláveis da geradora, criando uma fonte de renda a partir do que seria descartado.

1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by