Quem cozinha diariamente, em casa ou no trabalho, sabe da elevada quantidade de restos de alimentos jogados fora.

Mesmo com muito planejamento, é difícil evitar o descarte de vegetais e frutas, que poderiam ser aproveitados mas acabam indo parar no lixo.

Uma solução para evitar o desperdício é a compostagem. Com uma composteira, é possível transformar o lixo orgânico gerado na cozinha em adubo para a horta e o jardim, por exemplo. Esse processo é bastante simples e pode ser realizado mesmo em lugares com pouco espaço disponível.

Para entender melhor como funciona uma composteira e de que forma ela pode ajudar a evitar a geração de lixo, siga com a leitura! Neste post, vamos mostrar os resíduos que podem passar por esse processo e revelar soluções práticas para quem trabalha em cozinha comercial e pretende reaproveitar uma elevada quantidade de lixo orgânico. Confira!

O que é compostagem?

A compostagem é o processo de decompor matéria orgânica por meio da ação de bactérias. Ela transforma a matéria orgânica em um material estável e rico em nutrientes, que pode ser utilizado como adubo.

Por sua vez, a composteira é um recipiente adequado para receber materiais orgânicos e permitir que eles sejam compostados pela ação de bactérias. O ambiente quente e arejado que a composteira propicia permite que esse material se decomponha em um ritmo acelerado e sem gerar maus odores.

A compostagem vem se tornando uma forma cada vez mais popular de aproveitar os restos de comida que seriam descartados no lixo. Entretanto, apesar de estar se popularizando agora, essa técnica é bastante antiga. No oriente, por exemplo, ela é prática há pelo menos 5 mil anos, como forma de obtenção de adubo de qualidade para a prática agrícola.

Como funciona uma composteira?

O funcionamento da composteira é bastante simples. No geral, as composteiras tradicionais são formadas por três recipientes. Dois deles (recipientes números 1 e 2) possuem o fundo vazado, que permite que o chorume produzido pelo processo de decomposição se deposite no fundo do último (recipiente número 3).

Nos recipientes superiores (1 e 2), que são os vazados, fica armazenado o material orgânico que será decomposto por minhocas ou microrganismos aeróbicos. O uso da composteira se inicia depositando os resíduos no recipiente número 1. Quando este estiver repleto, basta trocá-lo de lugar com o recipiente número 2, que estará vazio e passará a receber os depósitos diários de resíduos.

Após cerca de 30 dias, a matéria orgânica do recipiente número 2 já estará estável e pronta para uso como adubo. O chorume produzido pelo processo de decomposição poderá ser coletado no recipiente número 3 e também ser utilizado na adubagem de plantas.

O uso de minhocas é uma estratégia para a produção de um adubo ainda mais nutritivo, porém ele não é obrigatório. Caso opte-se por utilizá-las, é indicado fazer o uso de minhocas californianas, que consomem matéria orgânica fresca e ajudam a acelerar o processo de decomposição.

Quais tipos de resíduos podem ser compostados?

É importante saber como funciona uma composteira e quais são os restos de comida que podem ser compostados. Esse cuidado é relevante porque, apesar de ser um equipamento muito versátil, nem todo resto de comida pode ser compostado.

Alguns resíduos orgânicos — sobretudo aqueles que tenham passado por processos de beneficiamento industrial, como papéis e madeiras — não podem ser depositados na composteira. As tintas e os produtos químicos utilizados nesses materiais podem contaminar o composto, impedindo que ele seja usado em hortas e jardins sob o risco de contaminar as plantas.

O que pode ser depositado em uma composteira:

– Restos de alimentos, como cascas de verduras e legumes, talos, frutas, etc.;

– Serragens;

– Folhas secas de árvores;

– Esterco, ou seja, fezes de animais ruminantes;

– Alimentos frescos;

– Alimentos cozidos ou assados, desde que em pouca quantidade.

O que não pode ser depositado em uma composteira:

– Pontas de cigarro;

– Lixo sanitário;

– Fezes de animais domésticos;

– Plantas doentes;

– Frutas cítricas;

– Derivados do leite;

– Sobras de carnes;

– Derivados de trigo;

– Arroz;

– Serragem de madeira tratada;

– Gorduras.

Como compostar uma grande quantidade de resíduos?

Quem atua em cozinhas comerciais e produz uma elevada quantidade de resíduos orgânicos todos os dias, pode precisar de uma ajuda na compostagem. Nesses casos, vale a pena contar com os serviços de um parceiro como a Translix, que dispõe toneladas de lixo orgânico diariamente para  compostagem.

Para tanto, basta organizar seus resíduos de forma adequada — atentando-se para não contaminar o lixo orgânico da sua cozinha com alimentos e materiais que não podem passar pelo processo de compostagem — e o resto do trabalho fica a cargo da empresa de compostagem parceira.

Contar com uma parceira para compostagem como a Translix, você consegue reaproveitar os resíduos orgânicos gerados pela sua cozinha, sem você precisar se preocupar em gerir o processo de compostagem em grande escala.

Entre em contato com a gente e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

1
×
Olá!
Como posso ajudar?