Para quem quer estar em dia com a legislação ambiental e tornar a empresa na qual trabalha em um espaço mais sustentável, ficar atento à correta separação e destinação do lixo é um passo importante.

Nesse sentido, é relevante saber identificar cada tipo de resíduo e qual a destinação correta para ele.

Neste post, vamos explicar o que é lixo orgânico e por que é crucial cuidar da forma como ele é descartado. Então, acompanhe a leitura e saiba mais!

O que é lixo orgânico?

Em termos gerais, podemos identificar lixo orgânico como todos aqueles produtos que são derivados diretamente de seres vivos. Ou seja, restos de carne, legumes, vegetais, madeira, folhas de árvore, entre outros, são enquadrados nessa classificação.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, das 250 milhões de toneladas de lixo produzidas diariamente no Brasil, entre 50% e 60% são de lixo orgânico. Assim sendo, estamos falando da maior parte de rejeitos produzidos por residências, indústrias e comércios.

Esse tipo de resíduo precisa receber destinação adequada, já que pode ser altamente poluente. Isso acontece porque, ao se decompor, o lixo orgânico produz chorume e gás metano. O primeiro é um líquido rico em material orgânico que pode causar desequilíbrios ambientais e poluir o meio ambiente. O gás metano, por sua vez, é um dos gases causadores do efeito estufa, responsável pelo aquecimento global.

Onde o lixo orgânico é descartado?

A maior parte do lixo que produzimos vai parar nos aterros sanitários. O terreno desses aterros é impermeabilizado com o objetivo de impedir que o chorume chegue ao lençol freático e contamine os cursos d’água. Assim sendo, esse chorume é recolhido e tratado. O gás metano produzido pelo processo de decomposição da matéria orgânica é recolhido e queimado, o que contribui para que ele se transforme em gás carbônico, diminuindo seu impacto ambiental.

Nesse ponto, é pertinente lembrar que os aterros sanitários são diferentes dos antigos lixões, que foram proibidos pela Lei 12.305, a qual instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Mas, apesar de a lei ter sido aprovada em 2010, ainda existem quase 3 mil lixões funcionando clandestinamente no país.

O problema é que, nesses lugares, os resíduos não recebem nenhum tipo de tratamento e não existe impermeabilização do solo. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, os lixões impactam na qualidade de vida de 77 milhões de brasileiros. Isso significa que é preciso ficar bastante atento no que diz respeito à contratação de empresas de coletas de lixo, a fim de se certificar de que elas são idôneas e trabalham de acordo com a legislação, dando a destinação correta para o que é lixo orgânico.

É possível reciclar o lixo orgânico?

A melhor forma de reciclar o lixo orgânico produzido por residências, comércios e indústrias é submetendo-o ao processo de compostagem. Basicamente, a compostagem acelera o processo de decomposição da matéria orgânica, conseguindo obter um material estável e rico em nutrientes que é utilizado como adubo na agricultura.

Além disso, é possível produzir energia por meio do biogás liberado pelo processo de decomposição da biomassa do lixo. Porém, essa forma de geração de energia renovável a partir do que é lixo orgânico ainda é empregada em baixa escala no Brasil.

Por que é importante separar adequadamente o que é lixo orgânico?

Um dos grandes empecilhos para a compostagem do lixo orgânico é o seu descarte incorreto. Ainda são muitos os estabelecimentos comerciais e residenciais que não priorizam a separação do lixo, misturando recicláveis, como copos plásticos e embalagens, com matéria orgânica, como restos de comida.

Pensando no processo de reaproveitamento do lixo, é fundamental que residências e estabelecimentos comerciais mantenham o que é lixo orgânico separado dos recicláveis e providenciem o descarte correto desses materiais. O cuidado com o descarte adequado do lixo deve ser observado especialmente por condomínios e estabelecimentos comerciais, como bares e restaurantes, que se enquadrem na categoria de grandes geradores de resíduos sólidos.

O que são grandes geradores de resíduos sólidos?

Em São Paulo, de acordo com o Decreto Municipal 51.907/2010, são considerados grandes geradores de resíduos sólidos os estabelecimentos comerciais que geram acima de 200 litros por dia de resíduos do tipo comum ou condomínios residenciais que geram acima de 1.000 litros diariamente. Nesses casos, o estabelecimento ou condomínio deve contratar empresas de coleta regulares em regime privado e que estejam cadastradas no site da AMLURB.

Como citado, durante a contratação de empresas que prestam o serviço de coleta, é importante verificar a destinação dada ao material coletado, investigando se o lixo coletado, sobretudo aquele de origem orgânica, está sendo encaminhado para aterros sanitários regulares ou enviado para compostagem.

Neste post, falamos um pouco sobre o que é lixo orgânico e por que é importante ficar atento para a forma como ele é descartado. Esse cuidado deve ser redobrado em estabelecimentos comerciais e condomínios, que são responsáveis pelo gerenciamento da própria coleta.

Gostou do conteúdo? Para ficar por dentro de mais informações sobre destinação correta de lixo, não deixe de seguir nossa página no Facebook! Até a próxima!

 

1
×
Olá!
Como posso ajudar?