O plano de gerenciamento de resíduos sólidos é um dos principais instrumentos da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).
De acordo com a lei, estabelecimentos comerciais e de prestação de serviço devem elaborar um plano de gerenciamento de resíduos sólidos. O objetivo é incentivar os agentes geradores a engajarem-se no compromisso de enfrentar os problemas ambientais e sociais oriundos do descarte inadequado de resíduos.

Neste texto, vamos falar sobre o que deve ser levado em consideração pelos responsáveis de estabelecimentos comerciais ao elaborarem seu plano de gerenciamento e colocá-lo em prática. Continue a leitura e saiba mais!

Conhecer a legislação que trata do plano de gerenciamento de resíduos sólidos

Antes de elaborar o plano de seu estabelecimento comercial, é importante conhecer a legislação que trata do assunto e entender os direitos e deveres de cada agente no processo de desenvolvimento de uma política adequada de gestão de resíduos no Brasil.

A principal delas é a Lei Federal nº 12.305, que institui a PNRS. Porém, como o planejamento nacional de resíduos engloba as escalas nacional, estadual e municipal, é preciso atentar-se para as regras específicas de cada município no que diz respeito ao descarte de resíduos e rejeitos.

Em São Paulo, por exemplo, gestores de estabelecimentos comerciais e de empresas prestadoras de serviços precisam conhecer as regras da AMLURB para o descarte de resíduos. No município, as principais leis que definem quais são as responsabilidades dos geradores de resíduos sólidos são a Lei Municipal nº 13.478 e o Decreto Municipal nº 51.907.

Realizar o diagnóstico dos resíduos sólidos gerados pelo estabelecimento comercial

Ainda antes de iniciar a elaboração do plano de gerenciamento de resíduos sólidos, o primeiro passo a ser tomado é a realização de um abrangente diagnóstico do que é gerado em termos de rejeitos e resíduos pelo estabelecimento comercial. Assim sendo, faz-se necessário identificar os tipos de resíduos provenientes das atividades desenvolvidas pela empresa, bem como a quantidade, como são armazenados e a disposição final.

Em bares e restaurantes, geralmente são produzidos resíduos considerados comuns, como embalagens plásticas, restos de comida, papéis, etc. Mesmo assim, é importante identificar o volume produzido diariamente. A partir desse diagnóstico, ficará mais fácil definir quais serão as ações tomadas para a destinação correta do material e avaliar o impacto da produção do estabelecimento comercial no meio ambiente.

Definir estratégias para a gestão dos resíduos produzidos

Tendo identificado as características dos resíduos produzidos, é preciso definir as formas mais adequadas de separação e de descarte, bem como estabelecer a destinação desse material. Conhecendo o volume que será descartado ou enviado para reciclagem, é possível equipar as áreas onde os resíduos são gerados com lixeiras para cada tipo de material (secos, molhados, plásticos, vidros, papéis, etc).

Além disso, torna-se viável encontrar parceiros ideais a fim de destinar esse material para reciclagem — por exemplo, empresas de coleta como a Translix —, que atuam com diversas soluções de reciclagem e disposição correta de material não reciclável.

Encontrar soluções para a redução do volume de material descartado

Com um bom diagnóstico, é possível pensar em formas de aproveitar ao máximo o lixo produzido pelo estabelecimento comercial. Restaurantes que produzem um grande volume de alimentos fritos e possuem a necessidade de descartar grande quantidade de óleo de cozinha usado podem, por exemplo, formar parcerias com cooperativas locais que trabalham com reutilização desse material e com produção de sabão e de produtos de limpeza.

No caso de estabelecimentos que diagnosticaram a necessidade de descarte de uma grande quantidade de lixo orgânico diariamente, eles podem tomar medidas que permitam a separação adequada desse material, de modo que ele possa ser enviado para empresas que atuem com compostagem. Dessa forma, o estabelecimento comercial pode ajudar a evitar a sobrecarga dos aterros sanitários locais.

Dispor dos recursos necessários e estabelecer metas

Com o plano de gerenciamento de resíduos sólidos definido, é preciso avaliar quais são os recursos necessários para que ele possa ser colocado em prática e tenha sucesso em sua implementação. Para isso, é importante que os gestores procurem fazer com que seus funcionários, fornecedores e parceiros estejam envolvidos e conscientes do plano de gerenciamento de resíduos sólidos da empresa. Nesse sentido, um processo constante de conscientização e de educação ambiental pode ser necessário.

Com o engajamento dos agentes envolvidos no processo de produção e de destinação dos resíduos sólidos, é possível estabelecer metas de longo prazo para o estabelecimento comercial. Essas metas podem ser direcionadas pela lógica dos 4 R’s da sustentabilidade, que visam repensar, reduzir, reutilizar e reciclar o lixo produzido.

Uma vez que a reciclagem dos resíduos sólidos gerados pela empresa estiver garantida, é hora de estabelecer metas para reduzir, reaproveitar e reutilizar um volume cada vez maior de materiais, diminuindo assim o impacto ambiental e tornando as ações da empresa mais sustentáveis.

Então, este conteúdo foi útil para você? Aproveite que está por aqui, assine nossa newsletter e não perca nossas atualizações!

 

1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by