A reinserção de produtos pós-consumo na cadeia produtiva, é uma das formas mais eficientes de redução do impacto ambiental gerado pela fabricação e circulação de um bem de consumo. Por essa razão, a instalação de projetos de manufatura reversa, estão se tornando cada vez mais indispensáveis nos mais variados setores da economia.

Neste artigo, vamos falar sobre como a Translix executa os projetos de manufatura reversa de seus clientes, e de que maneira essa forma de gestão de resíduos pode trazer diversos benefícios para a empresa. Confira!

O que são produtos pós-consumo?

Os produtos pós-consumo são aqueles cuja vida útil terminou, e não apresentam mais condições de reuso. Diante da impossibilidade de reutilização, esse material passa a ser considerado um simples resíduo. Entretanto, diferente de outros tipos de resíduo, por meio da manufatura reversa esse produto é reinserido no ciclo produtivo como matéria-prima.

A utilização de produtos pós-consumo no processo produtivo evita que, ao término de seus ciclos de vida, esses materiais sejam descartados. Em alguns casos, o descarte de produtos que poderiam ser reinseridos no mercado, pode representar uma enorme perda econômica, como ocorre, por exemplo, com o descarte irregular de materiais eletrônicos. Em outros casos, o descarte pode levar a danos ambientais graves, como é o caso de pilhas e baterias.

Quando a manufatura reversa é obrigatória?

A manufatura reversa pode ser aplicada em diferentes tipos de produtos, desde embalagens até produtos eletrônicos. Entretanto, de acordo com a Lei Nº 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, são obrigadas a implementar sistemas de manufatura reversa, as empresas cujos produtos geram os seguintes resíduos:

– Resíduos e embalagens de agrotóxicos;

– Pilhas e baterias;

– Pneus;

– Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;

– Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista;

– Produtos eletroeletrônicos e seus componentes.

Entretanto, mesmo empresas de outros setores optam por investir em manufatura reversa, uma vez que a recuperação dos produtos pós-consumo, pode representar uma forma de redução dos custos de produção.

Em alguns casos, o sistema de manufatura reversa é desenvolvido para atender a interesses mais amplos da empresa, por exemplo, para associação da marca à valores como sustentabilidade, responsabilidade social e cuidado com o meio ambiente.

Quem são os responsáveis pela reinserção dos produtos pós-consumo?

Para que um projeto de manufatura reversa tenha sucesso, e os produtos pós-consumo possam reintegrar o sistema produtivo, se faz necessária a participação de todos os atores envolvidos nas etapas do ciclo de vida do produto. Entenda:

– Ao consumidor final cabe a responsabilidade de retornar o produto pós-consumo para o fabricante ou levá-lo até os pontos de coleta;

– Á empresa produtora cabe a responsabilidade de planejar um sistema de manufatura reversa, que abranja as áreas onde o produto é comercializado;

– Ao prestador de serviço e varejista cabe a responsabilidade de esclarecer ao cliente que o produto não deve ser descartado de forma convencional.

Ou seja, assim como acontece com outros tipos de resíduo, a reinserção de produtos pós-consumo na cadeia produtiva, é de responsabilidade de toda sociedade, ainda que caiba à empresa geradora financiar e elaborar os sistemas para garantir a reinserção desse material.

Como a Translix executa o projeto de manufatura reversa de produtos pós-consumo?

Os projetos de manufatura reversa, e de logística ambiental são realizados de acordo com as necessidades e características de cada tipo de produto pós-consumo. Ao elaborar esse tipo de sistema, é preciso levar em consideração a área de circulação do produto, suas características físicas e o tratamento adequado, a fim de poder definir como a manufatura reversa será realizada.

O planejamento e a estruturação de sistemas de manufatura reversa da Translix, dedicam especial atenção à segurança no processo de transporte dos produtos pós-consumo. Esse cuidado é importante porque, em geral, o produto pós-consumo carrega consigo o nome da marca, de forma que a perda ou o extravio desse material, podem trazer sérios danos à imagem da empresa. Para evitar esse tipo de problema, qualquer movimentação é realizada com total rastreabilidade.

Dependendo das especificidades da empresa, e do produto pós-consumo, o cliente pode preferir que o projeto de manufatura reversa seja montado diretamente em suas instalações. Nesses casos, a Translix desenvolve projetos in company, atuando diretamente com o cliente.

Outra possibilidade é as operações do sistema de logística reversa, serem realizados nas instalações da própria Translix, ou em fornecedores licenciados para prestação deste tipo de serviço. Assim como todas as etapas do sistema de manufatura reversa, o lugar destinado à instalação, bem como o planejamento de transporte, é pensado estrategicamente para atender as necessidades da empresa, e garantir o tratamento ambientalmente adequado ao produto pós-consumo.

Gostou deste post? Para saber mais detalhes sobre as soluções que temos para oferecer à sua empresa, entre em contato conosco!

1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by