Uma das principais dificuldades na construção civil é a grande quantidade de resíduos gerados nas obras.

No Brasil, essa questão é especialmente relevante devido ao padrão construtivo utilizado no país, baseado em modelos tradicionais e muito artesanais, que contribui diretamente para essa situação.

Esses resíduos precisam ser segregados na obra, pois suas características permitem um reaproveitamento. Com isso, evita-se desperdício, elevados custos com disposição final e que as melhores práticas ambientais sejam negligenciadas. Para garantir que esse tipo de material seja descartado corretamente, a Política Nacional de Resíduos Sólidos exige que seja elaborado um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Portanto, estar atento à forma como o resíduo é descartado é importante para não infringir a lei e, além disso, para promover obras mais sustentáveis e que estejam em harmonia com o meio ambiente. Pensando nisso, neste texto, vamos falar sobre os principais tipos de resíduos da construção civil e como geri-los de forma adequada. Confira!

Quais são os resíduos da construção civil mais comuns?

Boa parte dos resíduos da construção civil são formados por materiais inertes, por exemplo, pedra, areia, cimento, etc. Porém, muitos outros itens são encontrados em canteiros de obras. Para facilitar o processo de seleção e tratamento desses resíduos, eles são classificados conforme segue.

Resíduos classe A

São os resíduos que podem ser reutilizados em outras obras de construção civil ou reciclados e transformados em agregado. Esses resíduos são formados por restos de argamassa, concreto, pedaços de revestimentos cerâmicos, porcelanas, telhas, etc.

Resíduos Classe B

São os resíduos encontrados na construção civil que podem ser reciclados e reaproveitados por outros setores da economia. Embalagens plásticas, canos de PVC, vidros, madeiras, metais, papel, entre outros, fazem parte dessa classificação.

Resíduos Classe C

São os resíduos que não podem ser reciclados por falta de tecnologia adequada ou pela inviabilidade econômica. Espumas expansivas e isopores fazem parte desse grupo de materiais.

Resíduos Classe D

Os resíduos classe D são aqueles enquadrados como resíduos perigosos. Geralmente, são formados por restos de solvente, resíduos de tintas e óleos e outros que possam ser prejudiciais para a saúde.

Como descartar os resíduos da construção civil corretamente?

Dependendo da classe dos resíduos da construção civil, existem diferentes formas de tratá-los. Os resíduos classe B e C devem ser separados e encaminhados para centrais de reciclagem. Já os resíduos de classe D devem ser descartados como resíduos perigosos por meio de empresas de coleta capacitadas para transportar, armazenar e tratar esse material.

Quanto aos resíduos de classe A, eles devem passar pelo processo de tratamento e recuperação conforme definido pela Resolução Nº 307/2002 do CONAMA. O documento diz que, após serem coletados, os resíduos classe A devem passar por um processo de trituração. Feito isso, os materiais podem ser separados de acordo com a sua granulometria.

Dependendo do tamanho dos grãos, esses materiais são classificados como areia, pedrisco, brita, bica corrida e outros. Nesse novo formato, eles podem ser comercializados como matéria-prima secundária e retornar para os canteiros de obra.

O que são canteiros de obra sustentáveis?

Em obras sustentáveis, é fundamental elaborar um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. O primeiro passo para gerir adequadamente os resíduos da construção civil é proceder com a identificação e a classificação deles. Só assim eles poderão ser devidamente separados e enviados para o tratamento adequado. Outro cuidado necessário é quanto ao acondicionamento dos resíduos, que deve ser feito de forma organizada.

As obras sustentáveis apresentam muitas vantagens. Nelas, é possível garantir a organização e a limpeza do canteiro, promovendo um planejamento mais racional do processo de construção. Além disso, por meio de uma gestão adequada dos resíduos, promove-se a economia dos materiais, evitando o desperdício e a perda de recursos.

Porém, é preciso ter em mente que separar e organizar os resíduos não é o suficiente para ter uma obra sustentável. Também é necessário garantir que os resíduos gerados no canteiro de obras recebam o tratamento adequado. Por isso, um passo importante de um bom Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos é a contratação de uma empresa parceira, capaz e confiável.

Como exemplo, a Translix é uma das poucas empresas que atende a todas as etapas do processo — fornecimento de equipamentos, coleta, transporte, reciclagem, beneficiamento, tratamento e destinação final — e para todos os tipos de resíduos. Com central de resíduos própria, realizamos o beneficiamento dos resíduos gerados e asseguramos que todos tenham uma dupla conferência, certificando a sustentabilidade do processo. Participamos das principais obras públicas e privadas da região metropolitana de São Paulo, contribuindo para que nossos parceiros atinjam um alto padrão de excelência e de sustentabilidade na gestão de seus resíduos.

Com a contratação de uma empresa parceira como a Translix, garantir a destinação ambientalmente adequada dos resíduos da construção civil é bem mais simples e prático. Entre em contato com a gente e conheça mais sobre as soluções que temos para oferecer!

1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by